Imagem capa - 3 inimigos da amamentação por Chocolate KIDS

3 inimigos da amamentação




Fiquei chocada quando descobri que a amamentação não é instintiva. Confesso que acreditava que o bebê por instinto iria mamar.  

Acreditando nisso, quando me descobri grávida, curti a gestação, tirei fotos, fiz enxoval, fiz drenagem. Minhas preocupações foram manter uma dieta saudável, hábitos saudáveis e decidir qual obstetra e maternidade para o parto.

Quando uma amiga também gestante me convidou para um curso de amamentação não dei importância. Não pensava que seria útil um curso teórico de amamentação. Fiz somente um curso de casal grávido, que foi interessante, mas bem superficial. 

Inocente....

Já seria muito difícil sem preparação. Grávida de gêmeas então! rs

Interessante como as mães se esquecem dos apertos, das dores e das angústias dos primeiros meses. Verdade sem filtro, quem conta? O amor é tão grande, que um sorrisinho funciona melhor que analgésico.

Nas mídias sociais, programas de televisão e comerciais tudo é muito fácil e indolor.

Não preciso nem dizer que comigo deu alguma coisa errada, né? Arrumei até uma “síndrome da mae nova”. rs

Depois que passou minha fase de adaptação e comecei a interagir com outras mães, pediatras e consultores, percebi alguns erros que cometi quanto a amamentação e gostaria de compartilhar aqui:


Mulher Maravilha não existe, não procrastine seu descanso

Mesmo tendo muito apoio da família, eu queria realizar tarefas ao invés de descansar com o desejo de não incomodar, não dar trabalho. Não só por isso, às vezes uma prosa  ou um programa de televisão fora de hora também me sabotavam.

Dormiu a criança (no meu caso, as crianças) eu deveria ter dormido também!

A amamentação é exaustiva, dá muita fome e muita sede. É necessário respeitar o nosso corpo.


Posição de amamentação

Arrumar uma poltrona que dê conforto ajuda muito. As dores no corpo podem ser severas e atrapalhar a amamentação.


A pega não pegou? O leite é fraco? 

Enquanto não estiver segura quanto a amamentação, procure ajuda profissional! Converse com seu pediatra,  procure um consultor de aleitamento ou o serviço de apoio do Odete Valadares. Não espere uma mastite para pedir ajuda.




Texto: @gemeasdamaecoruja